Não adoro, mas aceito falhar!

… muitos dizem que sou muito focada e que, por isso, consigo atingir os meus objetivos. Sim, é verdade! Ser focada ajuda bastante, mas creio que o mais me tem ajudado é o ter-me permitido falhar e aceitar que falhar faz parte do processo de desenvolvimento. 

 

Para dizer a verdade, eu falho e falho MUIIIIIITO! 

 

A questão é como vejo as minhas falhas.

 

Sempre ouvi o meu pai, quando aconselha alguém, a dizer:”pára, pensa e depois age!” E acho que essa frase se aplica perfeitamente ao processo de falhar. Como assim?!? Cada vez que falho, paro e penso em duas questões: 

A) porque falhei? 

B) o que aprendi com esta falha? 

 

Ao permitir-me dar-me tempo pra refletir, a falha deixa de ser um erro e passa a ser uma lição. Lição essa que posso aplicar aos meus próximos passos e que, muito provavelmente, tornará as minhas próximas ações mais sustentáveis, com maior probabilidade de sucesso. O permitir-me falhar tornar-me-á uma melhor!

 

Por exemplo, apesar de ser metódica, gostar de definir objetivos e planos estratégicos, é raro conseguir 100% dos objetivos anuais a que me proponho. Há anos que consigo concretizar 80% dos meus objetivos e há outros que consigo apenas 50%. Sim, 50% apenas!!! Alguns objetivos não consegui atingir naquele ano e só foram realizados no ano seguinte, ou até no ano a seguir a esse.   Outros objetivos ficaram simplesmente por realizar… Foram objetivos que se transformaram exclusivamente em lições. A vida tem destas coisas!

 

Mas repara que o que parece ser algo não muito positivo, ainda assim é ótimo! Porquê? Porque quando consegui realizar “apenas” 50% dos meus objetivos, fiz mais, consegui mais e passei a ser mais do que era antes de me propor a tais objetivos. Como diz o velho ditado: “grão a grão enche a galinha o papo”. E hoje, porque, no passado, permiti-me falhar, estou e sou melhor do que antes! 

 

Concluí que é preferível: falhar e avançar de forma lenta, que não me permitir falhar e não ir a lado nenhum. Ter medo de falhar é normal, paralisarmos e não agirmos por medo de falhar é outra coisa. 

 

A realidade é que todos falham! Perdedores e vencedores. A diferença é que os perdedores, geralmente, desistem nas falhas, após uma derrota! E os vencedores têm a mentalidade de “bora tentar uma vez mais, vai que é desta?!? Pelo menos, agora eu sei que aquela maneira não funciona, mas há outras possíveis soluções a experimentar”.

 

A questão que agora se coloca é: 

E tu, permites-te falhar? 

 

Uma ótima dia pra ti! 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *